Como é de conhecimento de muitos, o mundo criado por Tolkien me fascina e, por vezes perdido em meus devaneios, me evado para batalhas épicas na Terra Média (mais recentemente, Nárnia também é palco dessas batalhas imaginárias), num lance bem The Maxx e Outback.

Sobre a Terra Média, em O Hobbit (ou “Lá e cá novamente”) há um dragão chamado Smaug - o Dourado, (um dos últimos dos grandes dragões da Terra Média) que habita Erebor, a Montanha Solitária, com todo o seu tesouro.

Alguns poucos “privilegiados” também sabem que estagio na Spirit Linux e isso tem sido bem divertido também, inclusive me dando idéias para experimentos interessantes.

Um desses experimentos interessantes é o novo roteador de minha casa, carinhosamente apelidado de Smaug (um outro nome interessante seria Cérbero, mas minha casa não se parece com o que Cérbero guardava e, quanto a Pedro - um outro bom nome para um guardião - esse não lembrava muito a Terra Média :)). Smaug foi-me dado de presente pelo Igor Feghali, que estava disposto a se livrar de algumas peças de hardware que nada faziam em sua casa.

Eis a configuração da criança:

  • 64 MB de RAM (EDO)
  • Processador Pentium 150 MHz (retirado de um notebook, alguém quer me arrumar um 233 MHz MMX?)
  • Placa mãe ZIDA 5STX0110
  • 3.2 GB de HD
  • Um modem ISA de 56kbps ainda não identificado
  • Uma placa de som ainda não identificada

Meu objetivo com Smaug é criar um servidor completo, rodando serviços de nomes, proxy e um firewall implementando QoS e limitando tráfego para impor um uso mais justo da rede aqui de casa. Outra meta e documentar aqui no blog os passos para a criação desse monstro que rodará o recém lançado Slackware Linux 11.0.

Tudo começou numa visita à casa do Igor, onde peguei o gabinete da fera e a trouxe para casa empolgadíssimo para instalar o Slackware e configurar os serviços. Obviamente abri a máquina para dar uma conferida se os cabos estavam conectados, já que fui avisado que alguns cabos deveriam estar desconectados. Prontamente conectei os cabos e, quando fui ligar, notei que eu não tinha um cabo de força sobrando, mas isso não era problema, pois um detalhe interessante saltou aos meus olhos: Smaug em toda a sua grandiosidade não possuía a peça que bombearia os bits por toda sua estrutura eletrônica. Lhe faltava um processador…

… Meu ânimo não era dos melhores, não tinha cabo de força sobrando, não tinha processador e muito menos um teclado AT que entrasse naquela coisa…

… Mas não tema! A paciência tudo alcança e o plano de ação para a semana foi simples: conseguir o que faltava: Na segunda arrumei um processador e um cooler com o Igor, na terça um adaptador PS2-AT com o Gleydson, na quinta, depois de horas procurando, encontrei o manual da placa mãe e configurei os jumpers da placa mãe para adequá-la ao novo clock do processador.

No sábado então instalei o slack e parei por aí. Uma série de infortúnios como CDs estragados, falhas intermitentes no HD e falta de tempo me obrigaram a deixar Smaug descansando por mais um tempo. Essa foi uma semana muito movimentada para ele…

… Mas aguardem! Em breve esse implacável roteador estará de volta!

Update: Em uma das atualizações acabei resolvendo apagar os posts subsequentes que referenciavam Smaug. Ainda assim, a máquina me serviu por bons três anos, quando, então, resolvi aposentá-la.

Related content